Este é, para mim, o mais lindo + emocionante museu de todo o México

Dia desses eu publiquei uma foto que destoava do conjunto de imagens postadas no Instagram.

Foi uma foto que fiz quando visitei o Museu Frida Kahlo, na Cidade do México. A imagem mostra o gesso, os coletes e as muletas usadas pela artista.

Neste mundo onde é (quase) imperativo sorrir para a câmera, ostentar para a câmera, interpretar a alegria, para a câmera e depois postar na mídia social, Frida Kahlo continua na vanguarda.

Ainda me impressiona a visita que fiz à casa da artista. Para mim, este é o + lindo museu de todo o México.

Jamais esquecerei o momento em que me vi diante do retrato de Frida. As suas feições e olhar penetrante se perpetuavam dentro de uma moldura dourada. A beleza ali, longe de ser estampada num sorriso ensaiado, estava na força da mulher.

A obra de Frida expõe a força da mulher

Por todos os cantos, nos trabalhos de Frida expostos nas paredes em forma de pinturas, desenhos e esculturas de papie-machê, havia alegria. Ela se traduzia através das cores e do estilo forte da artista. Entretanto, o momento mais impressionante da minha visita quando me deparei com uma parede de azulejo branco hospitalar. Pendurados na parede, jaziam o gesso pós-cirúrgico, as cintas, os coletes e as muletas usadas por Kahlo ao longo da sua vida.

A visão é pungente e facilmente os olhos podem ficar molhados, ao encarar aquela imagem. Porém, este é um museu onde habita o espírito de Frida Kahlo. Assim, aquela parede virou uma instalação artística. E, como uma verdadeira obra de arte, aquela instalação teve o mesmo poder transformador que Frida soube usar tão bem, ao fazer a dor virar força e a força, se transformar em beleza.

Num mundo tão pseudo, onde é imperativo se mostrar feliz e ser o bambambã da bala chita, Frida Kahlo deve está rindo muito de nós.

Fiz esta foto quando visitei o Museu Frida Kahlo, na Cidade do México. 🇲🇽 A imagem mostra o gesso, os coletes e as muletas usadas pela artista. 🇲🇽 Neste mundo onde é (quase) imperativo sorrir para a câmera, ostentar para a câmera, interpretar alegria, para a câmera e depois postar na mídia social, Frida Kahlo continua na vanguarda. 🇲🇽 Ainda me impressiona a visita que fiz à casa da artista e que hoje é, para mim, o mais lindo museu de todo o México. Jamais esquecerei o momento em que me vi diante do retrato de Frida, as suas feições e olhar penetrante, guardado dentro de uma moldura dourada. A beleza ali, longe de estar estampada num sorriso ensaiado, estava na força da mulher. Por todos os cantos da casa, nos trabalhos de Frida expostos nas paredes, em pinturas, desenhos e esculturas de papier mâché, também havia alegria, que se mostrava através do estilo forte da artista. 🇲🇽 Mas o momento mais impressionante da minha visita foi olhar para uma parede de azulejo branco hospitalar, onde jaziam o gesso pós-cirúrgico, as cintas, os coletes e as muletas usadas por Frida ao longo da sua vida. 🇲🇽 A visão é pungente e facilmente os olhos podem ficar molhados, ao encarar aquela parede. Porém, como se trata de um museu onde habita o espírito de Frida Kahlo, aquela parede virou uma instalação artística. E, como uma verdadeira obra de arte, aquela instalação teve o mesmo poder transformador que Frida soube usar tão bem, ao fazer a dor virar força e a força, se transformar em beleza. 🇲🇽. Num mundo tão pseudo, onde é imperativo se mostrar muito feliz e ser o bambambã da bala chita, Frida Kahlo deve está rindo muito de nós.

A post shared by Revista Travel3 (@revistatravel3) on

Deixe seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

code