Ideia do livro nasceu em 2014, inspirada pelo campeonato mundial do esporte, no Havaí

O livro do fotógrafo Gustavo Malheiros, sobre o surfe brasileiro, vai muito além de um mero registro documental.

Gustavo Malheiros livro Tempestade

Saquarema em P&B, foto de Gustavo Malheiros que está no livro Tempestade (Fotos: Gustavo Malheiros)

Malheiros estava em Pipeline, assistindo a final do mundial, no 1º Campeonato Mundial do WCT, vencido por Gabriel Medina. Vivenciando uma mescla de emoções e sensações, o fotógrafo teve a ideia de criar a obra. A paixão pelo esporte e a vontade de registrar todas as belas imagens geradas por ele deram sequência ao projeto.

Batizado de Tempestade, o livro reúne registros de grandes nomes do esporte, dos jovens surfistas às lendas brasileiras em momentos que vão além de campeonatos. Superação, desafios, treinos, choros e alegrias revelam o cotidiano de pessoas que têm em comum a busca das melhores ondas e do mar perfeito.

Gustavo Malheiros livro Tempestade

Capa do Livro que mostra esportistas e legendas do surfe brasileiro

São imagens de diferentes campeonatos, retratos, momentos entre amigos, cenas de família e viagens ao redor do mundo.

“Este livro é sobre o momento histórico que estamos vivendo. É também sobre os surfistas que conheci em minhas viagens pelo mundo, sobre histórias de superação desses atletas impressionantes.

Este livro começou por causa de Gabriel Medina, Adriano de Souza, Filipe Toledo – o surfe deles transcendeu a água e encantou a todos”.

Gustavo Malheiros – Fotógrafo, autor do livro Tempestade

A capa de Tempestade busca resumir o que o leitor vai sentir ao abrir o livro. Gabriel Medina, um dos maiores surfistas mundiais e um dos maiores nomes do surfe brasileiro da atualidade, em cima da prancha mar a dentro, e uma imensidão a sua frente.

Gustavo Malheiros livro Tempestade

O surfista

“Chegamos ao litoral norte de Oahu para assistir ao Pipe Masters Pro no dia 08 de novembro de 2014. A praia foi invadida por brasileiros e eu não sabia se pulava ou tirava fotos, acho que fiz os dois. Posso afirmar, sem a menor sombra de dúvida, que senti a mesma felicidade em 2002, quando o Brasil venceu a Copa do Mundo”.

 

Deixe seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

code